CONTOS de Carlos Kaliban
O HOMEM DOURADO

Ela estava sozinha quando em determinado momento da vida se interessou por certo homem. Começaram então a se relacionar. O tempo passou e se sentiam muito felizes da forma que estabeleceram. Havia algo que os incomodavam. Ele não era rico e sendo assim não conseguia dar a ela a segurança que almejava e necessitava.

No entanto ele tinha aspectos que o tornavam maravilhoso e ela também era mais maravilhosa ainda. Ele era esforçado e procurava dar a ela tudo que podia. Nas suas orações ele sempre pedia aos céus que lhe dessem o necessário para que aquela relação tão linda perdurasse. Ela procurava sempre dar valor às suas coisas e ser feliz como podia. Os dois tinham sempre boas intenções um para com o outro.

Certa vez, a mulher orava pedindo que aquele homem se transformasse e ficasse rico. Apareceu então diante dela uma mulher que parecia uma fada ou um anjo, que disse: - “Eu posso ajudá-la. Feche os olhos e peça novamente que eu o transformarei em um homem rico”. A mulher, confiando na outra, assim o fez e quando terminou sua oração foi olhar o homem que estava do lado de fora da casa. Ele tinha se transformado em um "homem dourado". Todo o seu corpo tinha se tornado ouro puro.

Ela voltou e desta vez encontrou realmente uma bruxa que disse: - “Viu? Aconteceu como lhe prometi. Com todo seu corpo transformado em ouro, ele é agora um homem rico, capaz de dar toda a segurança que você precisa, por toda a vida. Porém existem alguns problemas a serem resolvidos. Ele não pode se mover. Apenas pode escutar e falar. Cabe a você convencê-lo a beber esta poção mágica que fará que ele saia do corpo de ouro e vá para outra dimensão. Você assim ficará com o homem rico que você queria e poderá obter dele a segurança que deseja. Você poderá estar com ele quando quizer, mas não poderá tocá-lo, pois ele não terá mais corpo. Poderão sempre ser companheiros se souberem lidar com a situação. Basta então que você o convença a beber a poção mágica. Depois ele irá transferir o ouro de seu corpo, na medida em que você precisar, até que não exista mais ouro a ser doado. Neste momento ele não poderá mais ficar ao seu lado, nem na forma imaterial. O outro problema é que este feitiço é irreversível. Não posso desfazê-lo”.

A bruxa evaporou-se e a mulher ficou apavorada. Não era aquilo que tinha desejado. A riqueza tinha a sua importância, mas perder aquele que amava desta forma era um destino que jamais poderia ter imaginado.

Ela, chorando muito, foi até o “homem dourado” e contou tudo o que tinha acontecido e de como estava arrependida do seu desejo. Falou da porção mágica e do resto do discurso da bruxa.

O homem pediu então que ela se retirasse, pois ele queria ficar sozinho. Assim que ela foi, ele invocou o seu anjo protetor. Depois de algum tempo o anjo apareceu e escutou toda a história. Ele disse também ao anjo que não se importava em dar todo o ouro para ela, que afinal era o seu próprio corpo, mas que acreditava que não fosse desta forma que ela gostaria.

Quando terminou o anjo disse ao homem: - “Defina exatamente o seu desejo para que não existam dúvidas a respeito do que você realmente quer”.

- “Quero que ela tenha, de uma só vez, tudo o que pediu e que possamos ficar novamente juntos, como antes. Parece impossível, mas acredito que o impossível não existe. Quero exatamente isto”.

- “Muito bem”, disse o anjo. – “Você vai convencê-la a lhe dar a poção mágica. É necessário que ela tenha confiança no que você vai dizer, sem que nenhuma explicação seja dada. Você já demonstrou sua confiança dizendo que o impossível não existe. Agora é preciso que ela tenha confiança na orientação que estou dando, mesmo que nenhum dos dois saiba o que acontecerá. No momento vocês só possuem a fé. E lógico que todo este ouro também! Mas o ouro, neste instante, não serve para nada. Não é possível desfazer o feitiço. Pode-se transcendê-lo, isto é, ir além dele”.

Assim que o anjo se foi, ele chamou a mulher e lhe disse: - “É preciso que você confie em mim totalmente e sem perguntas, mesmo porque não tenho as respostas. Dê-me a poção mágica para beber. Você terá o que pediu”.

A mulher desandou a chorar, pois já sabia o que iria acontecer em seguida e não queria isto. O homem disse então: - “Faça exatamente o que estou dizendo, sem duvidar, sem entender e sem questionar. É orientação do anjo”.

Ela enxugou as lágrimas e verteu todo o conteúdo do frasco da poção mágica na boca do "homem dourado". Gota por gota o líquido desceu pela sua garganta.

Depois de beber o líquido os dois viram o ouro começar a se derreter. O homem gritou para a mulher pegar o ouro, pois era dela. Ela tentou, mas, como era líquido, fluía por entre os dedos e penetrava na terra através de orifícios que lá existiam. Esses orifícios eram entradas de pequenos túneis construídos por roedores que seguiam indefinidamente, cada vez se aprofundando mais. Assim todo o ouro fluiu sem que a mulher pudesse pegá-lo. Embora fosse dela, não conseguiu reter nem uma gota.

O homem ficou apavorado. – “Não foi isto que expressei ao anjo. Se você não obtiver a riqueza que desejou, não ficarei neste nível por muito tempo. Temos de fazer algo para mudar a situação e escapar da maldição. Algo mais deve ser feito, mas o anjo não disse. Cabe a nós dois descobrir e colocar em ação”.

Então, os dois se abraçaram e vivenciaram um momento de profunda confiança um no outro. De repente, gritaram ao mesmo tempo: - “Vamos cavar na direção que o ouro desapareceu. Se a riqueza foi para lá, nós vamos atrás dela e rápido, pois não temos tempo. Não interessa se vamos conseguir ou não. É isto que vamos fazer”.

E assim o fizeram. Com o passar do tempo o homem começou a se desmaterializar e suas mãos não podiam mais cavar. Mas a confiança entre os dois não diminuiu nem um pouco. Ele a orientava dizendo que devia cavar mais à direita e em outro momento mais à esquerda. Quando ele já estava quase que totalmente em outro nível, ela gritou: - “Bati em algo sólido e tenho certeza de que não é uma pedra”.

Realmente a intuição dela foi certa. Não era o ouro que tinha se perdido para sempre, mas era uma jazida de diamantes, cuja riqueza era muito maior que a do ouro perdido. Neste momento o homem começou a se materializar novamente e quando retornou totalmente ao estado humano se abraçaram com enorme alegria. O que os dois desejaram aconteceu, de uma forma completamente diferente daquilo que podiam ter imaginado.

 
 
Direitos Reservados