CRÔNICAS de Carlos Kaliban
SEGURANÇA MÁXIMA

Ele era um rapaz de família humilde que tinha batalhado muito na vida para poder estudar e seguir aqui que seu desejo indicava. Já cursando a Faculdade ele conseguiu um estágio de férias em uma grande empresa que era proprietária de Usinas Hidrelétricas. Enfim, uma empresa de nome e credibilidade, conhecida por ser uma das mais organizadas e sérias do país.

O estágio deveria ser em uma determinada Usina que ficava no interior. Recebeu instruções para se apresentar em uma determinada data ao chefe dessa Usina.

Ele morava em uma cidade distante e empreendeu uma exaustiva viagem de ônibus até o local onde deveria se apresentar. Desembarcou na cidade mais próxima da usina e de lá foi de taxi até a entrada da Usina. Chegando, dispensou o taxi e se dirigiu à portaria.

-“Bom dia!” Disse ele à pessoa que estava no balcão. –“Tenho de me apresentar ao Engenheiro Chefe, pois vou começar hoje a estagiar aqui”.

-“Onde está o seu crachá?” Perguntou o homem da recepção.

-“Não tenho! É a primeira vez que venho aqui. Com certeza vou receber um, mas primeiro é necessário que eu me apresente ao engenheiro chefe.”

-“Está vendo aquele cartaz ali? O que ele diz? Que esta é uma “ÁREA DE SEGURANÇA MÁXIMA” e embaixo está escrito que “SÓ É PERMITIDA A ENTRADA DE PESSOAS AUTORIZADAS”. Assim, só é possível passar por aqui quem esteja portando um crachá.” Disse o homem da recepção.

-“Mas, meu amigo! Entendo que ali está escrito isso. Acontece que recebi instruções para me apresentar aqui. Leia o e-mail que recebi sobre o assunto. Nele está citado o meu nome e o nome da pessoa a quem devo me apresentar.” Disse o rapaz mostrando o e-mail.

-“Está tudo certo. Já vi que aí está o seu nome e o nome do Engenheiro. É claro que conheço o engenheiro, mas acontece que, torno a repetir, por aqui não entra ninguém sem crachá.” Retrucou o homem.

Então, o rapaz argumentou mais uma vez: -“Estamos em um impasse. Preciso entrar e o Senhor não deixa em função de uma norma que tem de cumprir. Eu lhe pergunto: Como posso entrar? Qual é a maneira, já que eu me encontro em uma “ÁREA DE SEGURANÇA MÁXIMA”? Preciso que o Senhor me diga como resolver o problema. Por favor! Fiz uma longa viagem. Estou muito cansado.”

-“Bem! Já que você está pedindo tão educadamente, vou lhe explicar como. Está vendo a cerca que envolve toda a área e que tem arame farpado em cima? Muito bem! É uma cerca de segurança. Agora observe lá no final. Vê algumas pessoas lá?” Perguntou o homem.

-“Sim! Estou vendo. E daí?”

O homem então concluiu. –“Naquele ponto existe um buraco na cerca de arame. As pessoas que não tem crachá entram por lá. Não existe ninguém para fazer perguntas.”

O jovem agradeceu e se dirigiu àquele ponto da cerca de segurança. Enquanto caminhava, foi pensando: -“Embora esta inusitada história seja real, as pessoas a quem eu contar vão achar que é invenção minha. Mas contarei mesmo assim!”

Passando pelo buraco, dirigiu-se ao Escritório Central para se apresentar. Enfim, não importava como e sim que ele estava ali para fazer aquilo que tinha escolhido e que seria útil para o seu futuro.

 
 
Direitos Reservados