ENSAIOS de Carlos Kaliban
AS CONEXÕES DA VIDA

Através das pessoas estabelecemos conexões com outras pessoas. Isto se dá através de atividades, intenções, desejos, energias que enviamos e recebemos. Somos canais por onde a energia cósmica transita. Direcionamos estas energias, que podem ser positivas ou negativas. Quando nosso desejo é bom e nos colocamos a serviço do positivo, podemos ser veículos importantes em processos de cura ou mesmo de alívio para nós mesmos e para outras pessoas.

Assim funciona a oração, quer seja para nós mesmos ou pelo outro. É através dela que vamos estabelecendo os links específicos com cada pessoa. O exercício constante destas focalizações estabelece um canal realmente eficaz que permanece e age durante o tempo em que as condições que as criaram permanecem.

Entretanto, existem ligações que são feitas em conjunto com uma determinada pessoa. Isto é, nos conectamos à “rede” de uma outra pessoa. Essa pessoa funciona como um “roteador”. Embora pareça que a conexão com a pessoa “B” seja feita de forma direta, ela na prática não acontece assim. Ela passa pela pessoa “A”.

A citação de que “O que Deus uniu o homem não deve separar” é comumente associada a relações entre casais. Mas não é bem assim. Ela é mais extensiva. Ela liga pessoas de uma forma mais geral e de uma maneira incompreensiva. Quando “desconectamos” pessoas de nossa “rede” isto não é tão simples. Devem ser feitas de forma cuidadosa e bastante objetiva. Desligamentos através de “ódios”, “esquecimentos”, “desprezos” ou coisas do gênero devem ser evitados.

É preciso lembrar também outro ensinamento que diz “Tudo que desligares na terra será desligado no céu”, sendo muito confundido como um poder dado a São Pedro e associado ao poder Papal. Mas este poder foi dado a todas as pessoas e não só a Pedro. Todas as pessoas são responsáveis pelas relações que estabelecem.

Por isto tudo devemos ter muito cuidado e muita sabedoria na hora de acabar uma relação. Devemos desligar coisas localizadas, tais como presença física, por exemplo. Mas os laços de amor devem permanecer. É através desses laços que a energia cósmica se move. Quando um grande trabalho de re-ligação desses canais foi desenvolvido previamente, os resultados em termos de bem-estar nos outros são sentidos. Frequentemente podemos não perceber isto em nós mesmo, mas a energia está sendo direcionada para o outro e o outro está sendo beneficiado. Determinados cortes dão retrocesso a todo um processo arduamente desenvolvido.

Amor não faz mal a ninguém. Amor é um bálsamo. Amor é energia. Amor é canal. Amor é liberdade. Amor é sabedoria. Não sejamos juízes para decidir mentalmente o que e como cortar. A parábola do “Joio e o Trigo” fala sobre isso. Devemos ter cuidado quando cortamos ou eliminamos algo de nossa vida. Podemos estar cortando a coisa errada.

Por fim, permita-se amar e permita ser amado. É a coisa mais maravilhosa do mundo. Nos locais onde se trabalha com cura, o amor é sentido, é respirado e inunda o ser humano. Nestes locais nos sentimos imersos na energia do amor. É neste estado que a cura se dá e que podemos ficar sãos. Através do amor que flui nas conexões estabelecidas.

 
 
Direitos Reservados