ENSAIOS de Carlos Kaliban
ESCOLHAS

Muito falamos sobre escolhas. Na maior parte das vezes consideramos as "Grandes Escolhas" tais como "mudar de emprego", adotar um Relacionamento com alguém a nível de casamento, separar-se de alguém, comprar ou vender um imóvel, mudar de cidade, mudar de religião, romper com amigos e uma série de decisões importantes.

Frequentementes analisamos e julgamos se as nossas escolhas foram certas e onde nos levaram. Remoemos em nossa mente imaginando como pudessem ser diferentes, caso tivéssemos feito outras escolhas.

O fracasso ou o sucesso de nossas escolhas raramente dependem do objeto da escolha e sim de condições simples e bastante gerais. A forma como agimos diante das escolhas e o após, no dia a dia, é que fazem a diferença.

O que escolhemos é inteiramente secudário. Como somos, o que queremos, como sentimos, a qualidade de nossas ações, o nosso sentimento e o estado de consciência em que nos encontramos, são os fatores que influem efetivamente no sucesso de nossas escolhas.

Frequentemente julgamos que escolhemos errado e o nosso mental nos convence disto. E o nosso coração, o que diz? Escolhemos com o coração e julgamos depois com a razão. Não parece justo conosco mesmo esta duplicidade. Se escolhemos com a razão, deveríamos analisar com a razão, mas se a escolha tiver sido feita com o coração, porque não incubir o próprio coração nesta análise?

Podemos sim escolher coisas simples e básicas:

- Ser uma pessoa que cultiva o ódio ou uma que cultiva o amor (Estas duas plantas não costumam viver bem em um mesmo canteiro).

- Ser uma pessoa que diz "Vou ser feliz hoje!" ou uma que acorda achando que tudo vai dar errado.

- Colocar amor em tudo o que fazemos e em tudo que temos, ou querer realizar aquilo que não é o momento e desejar coisas que estão fora do alcance ou inteiramente sem propósito.-Ser alegre e sorrir para a vida a todo instante ou vivenciar momentos de tristeza por tal ou qual situação.

-Dizer para a pessoa amada um "eu te amo" gostoso sem se preocupar que isso seja uma verdade absoluta, mas sabendo que é um sentimento cuidado e cultivado com atenção, ao invés de calar-se e se recolher na frieza como se não esperasse nada mais da vida.

-Viver sem se preocupar com o passado estando no momento presente, ou ir ao passado que não existe mais e a partir dele projetar e se preocupar com um futuro que não nos garante absolutamente nada.

-Ser ativo, sair para passear, encontrar amigos, se divertir, viajar, ao invés de se entregar à tristezas e desânimos frequentemente causadores de doenças em nossos corpos.

O modo que vivemos na realização das pequenas coisas tranasforma-se no que é importante na vida. As grandes coisas vivem em função delas.

O primeiro passo é o mais importante.
A palavra carinhosa nos faz sentir melhor.
A música nos embala.
Os amigos são nossos tesouros.
Nossa família é nossa continuidade.
Nosso trabalho é nosso orgulho.
Nosso caminhar é nossa vida.
Nosso objetivo final é algo que nunca deve acontecer.
Nosso coração é a morada do amor.
Nossos lábios são para levar aos outros tudo de bom.
Nossos braços e nossas mãos são para realizar.
Nossas pernas para nos conduzir.
Nosso futuro está lá, em algum lugar e em algum momento.Não importa.

Nas coisas simples somos felizes.

 

 
 
Direitos Reservados