POESIAS de Carlos Kaliban
ONDE ESTÁ VOCÊ?

De repente, olho em volta e pergunto:
Onde está você?
Não a vejo em nenhum lugar
O quarto está vazio
Na sala não está
No jardim apenas as flores
No mais, silêncio.

Como viver longe de você,
Como não tê-la em meus braços,
Sempre...
Como não sentir seu perfume,
Como não escutar sua voz,
Sempre...

Pergunto:
Onde está você?
Sei que está vivendo
Sei que pensa em mim
Sei que sente saudades
Sei que vai me encontrar
No momento que a vida decidir
No momento que o amor quiser.

Pergunto novamente:
Onde está você?
Ouço o eco repetindo e repetindo
A pergunta que faço.
Fico atento, aguardando a resposta
No silêncio espero
No silêncio eu rezo
No silêncio observo.

O silêncio então me aponta
As palavras que não existem
Mostra o que importa
Desafiando-me a entender.

Mergulho para dentro
Saio do mundo
Percorro os meus aposentos
Vejo a mente
Vejo o coração
Vejo todos os meus órgãos
Vejo todas as minhas células
Vejo tudo...

Encontro você dentro de mim
Presente e viva.
Em minha memória
Você existe no passado.
Em minha mente
Você existe no presente.
Em meus sonhos
Você existe no futuro.

A cada segundo da minha existência
Em cada ponto do meu corpo
Você está
Me tocando
Me abraçando
Me beijando.
Nos meus ouvidos escuto tua voz
Ou penso escutar
Na minha visão
Você está lá
Nos meus lábios
Você coloca um sorriso
Na minha dança você coloca música.

Tenho a resposta
Para a pergunta que fiz
Sei onde você está!
Está dentro de mim
Em cada célula
Em cada ponto do meu ser.
Mas em um lugar
Você está de forma especial
Nele você ocupa todo o espaço
Não restando lugar
Para ninguém além de você
Este lugar é seu
Você o conquistou
Faça dele o que quizer:

É o meu “CORAÇÃO”.
Nele, você é eterna.
O coração diz:
Vá! Encontre! Viva! Dance! Fale! Faça! Ame!
Afinal, é o momento de vocês!

A resposta vira poesia
A vida dança como o coração
Eu escuto ele pulsar dentro do peito
Ou será que são os sons dos meus passos
A caminhar para o meu destino?

As ondas ainda se propagam na superfície do lago
A pedra que jogamos foi para o fundo
Lá repousa no silêncio.
Um dia, toda a superfície do lago ficará serena
Será quando poderemos caminhar sobre as águas
De mãos dadas
Sem medo de afundar.


 
 
Direitos Reservados